Está aqui

Comentários efectuados por Ana Duarte

  • Ana Duarte comentou a entrada "Três dias para ver" à 12 anos 9 meses atrás

    Agradeço o seu comentário, sinónimo de que o que escrevi teve algum impacto em alguém. Muito obrigada! Também foi sentido o que escrevi, sim... e não parei, ainda de me envolver neste mundo da escuridão e da luz interior, ainda que conseguido artificialmente e admito ter conquistado uma maior sensação de segurança nele.
    Abraço retribuído com igual apreço,
    Ana

  • Ana Duarte comentou a entrada "Tudo por fazer nos transportes,edifícios e trabalho" à 12 anos 9 meses atrás

    Achei súper interessante o comentário que se refere, concretamente às actividades desportivas para portadores de deficiências diversas. Na verdade, recriar eventos em grande, dá trabalho, é um facto, mas com cooperação de gente empenhada em ajudar, não custará nada e tudo se faz com o maior prazer. Haja sensibilização e força de vontade.
    Só de pensar na satisfação de todos quantos apostam no desporto e no convívio salutar, parte da sua felicidade (sejam ou não portadores de algum tipo de deficiência), creio haver impulsos mais do que suficientes, para mobilizar esforços no sentido de idealizar e levar a cabo, no terreno, experiências arrojadas e de grande valia para um bom desenvolvimento do indivíduo.
    Quanto a mim, a organização de convívios regulares, de natureza desportiva diversa (consoante a época do ano e a geografia do espaço onde se aplique), tem tudo para dar certo e produzir óptimos resultados, seja em Portugal, no Brasil e no resto do mundo!
    A auto-estima é uma arma preciosa para o combate diário das contrariedades que se atravessam no destino de cada um, a cada passo e essa auto-estima conquista-se em várias fontes, entre as quais... na alegria e no encorajamento! Por isso, faça-se luz, junto das instituições apropriadas, mobilizem-se esforços em cada região do País e que se dê hipótese à concretização de sonhos e multiplicação de sorrisos, entre esta gente, que bem o merece!!!

  • Ana Duarte comentou a entrada "Seminário: Encontrar um caminho para todos - as novas tecnologias e o acesso aos museus" à 12 anos 9 meses atrás

    Estou muito feliz por ler esta informação e mais, ainda, por perceber que os Museus se encaminham na direcção certa, tentando promover a cultura a todos os cidadãos, derrubando barreiras e eliminando fronteiras. Faço votos de que este Seminário seja altamente produtivo, como acredito venha a ser e que dele beneficiem não só os seus potenciais públicos e funcionários, mas também e acima de tudo, representantes de muitos Museus, para que aprendam algo e o coloquem em prática, para benefício da totalidade dos cidadãos e não apenas de alguma maioria, não portadora de qualquer tipo de limitação ou deficiência.

    A cultura é uma herança a transmitir a todos e como tal, há que encontrar meios de a fazer propagar da melhor forma, melhorando o programa de actividades dos Museus, ano após ano, nesse mesmo sentido. Para isso, certamente o Seminário em causa dará um bom contributo.

    Infelizmente não poderei assistir a esse Seminário, mas queria imenso poder receber cópia das eventuais apresentações dos palestrantes, ou um apanhado geral das comunicações. Se houver meio, por favor.... alguém mandaria para mim, para o e-mail: anaduarte4@gmail.com, por favor?

    Muito obrigada pela atenção!
    Cumprimentos,
    Ana Duarte

  • Ana Duarte comentou a entrada "Há cada vez mais gente a querer aprender Braille" à 12 anos 10 meses atrás

    Extrapolando um pouco a informação divulgada, não posso deixar de dizer o seguinte:
    Em primeiro lugar, folgo muito em saber da iniciativa promovida pela ACAPO, em favor do conhecimento do Braille junto do público normovisual. Em segundo lugar, essa informação fez-me recordar um sonho que acalentei quando mais novinha, que consistia em aprender Braille, mas também linguagem gestual, pois sentia diante de pessoas portadoras de deficiências visuais ou auditivas, uma sensação estranha de que eu seria o elemento descontextualizado ali, como peixe fora de água, por não comreender aquele mundo e pior do que tudo, não poder interagir com ele, sentindo-me marginalizada e se aquele mundo era especial demais! Como eu gostaria de ter aprendido Braille e até linguagem gestual no ensino dito normal que frequentei no liceu... agora entenderia e corresponderia aos surdos mudos facilmente, o que não sucede de todo e até compreenderia melhor a forma como os invisuais se comunicam por escrito e sabe-se qual será o dia de amanhã... se não necessitarei conhecer o Braille por poder vir a padecer de alguma falta de visão , por qualquer razão? O futuro só a Deus pertence! Por pensar deste modo, deixo o testemunho de que este tipo de conhecimento não é demais para algum não portador de deficiência, para já não falar da extrema importância da integração dos não deficientes no meio dos grandes "Filhos de um Deus Menor", em favor da construção de um mundo uno, sem limitações, ou desconfortos por desconhecimentos vários e descriminações em torno de uns ou de outros!
    Será possível acreditar que um dia haverá uma nova reforma no ensino português, desta vez, para promover a inclusão no ensino dito normal e público, de disciplinas eventualmente opcionais, como o Braille e a linguagem gestual, tal qual a disciplina de religião e moral tem sido considerada, bem como os idiomas? Queria muito acreditar que isso venha a ser possível, ainda que não venha a ser para mim, mas para os descendentes que um dia eu possa vir a ter...
    Portugal está a mudar positivamente, mostrando maior preocupação e sensibilidade em torno da deficiência e questões de acessibilidade. Agora, mais do que nunca, não perca esse embalo necessário!

  • Ana Duarte comentou a entrada "Como bloquear um remetente no Outlook Express" à 12 anos 10 meses atrás

    Eu, pessoalmente, adorei saber desta e de tantas outras dicas informáticas... há tanta coisa que desconheço a este nivel e com as ajudas divulgadas no lerparaver tenho aprendido e utilizado algumas coisas boas... muito obrigada a quem tem dado preciosos contributos neste domínio!!!

    Continuem a enviar bons conteúdos e comentários, independentemente do concurso ter terminado, pois o lerparaver agradecerá e todos aqueles que o visitam, também!
    Um abraço e bom ano para todos!

  • Ana Duarte comentou a entrada "As acessibilidades nos Museus - Ia Jornadas Museológicas da GAMP" à 12 anos 10 meses atrás

    Conforme pude participar no evento que em seguida menciono, dou do mesmo testemunho:
    No passado dia 30 e 31 de Outubro realizaram-se, na Fundação António Cupertino de Miranda (Porto – Portugal) as primeiras jornadas organizadas pela Grande Area Metropolitana do Porto (desde a sua recente formação com os seus 14 municípios) no âmbito do Sector cultural e a que, de acordo com os seus organizadores, se pretende dar continuidade.

    De uma maneira geral os principais pontos a serem considerados foram:

    - A função social dos Museus – sua importância no processo de desenvolvimento e transformação da sociedade;

    - Museus e públicos;

    - Os serviços educativos dos Museus - as acessibilidades;

    - O Museu a sua envolvência – os espaços de lazer,

    - Estratégias de Gestão cultural para os Museus – marketing cultural e merchandising..

    As sessões foram bastante participadas, considerando a presença de muitos técnicos ligados aos vários Museus da Área Metropolitana do Porto, tendo sido constatado (com uma certa mágoa) a ausência dos "políticos" que decidem as estratégias culturais dos respectivos concelhos. Embora tenha havido um balanço positivo em relação às actividades desenvolvidas pelos Museus, constata-se algum alheamento das pessoas - por exemplo no âmbito do projecto "As famílias no Museu". Também foi dado importante relevo às questões relativas à acessibilidade nos equipamentos culturais, nomeadamente nos Museus, assunto ao qual se deve passar a atribuir uma maior atenção, considerando o espaço (mobilidade no exterior e no percurso interior), bem como os componentes de informação e divulgação que deverão ser dirigidos a todos os públicos, tendo o cuidado de os reajustar às necessidades do chamado público especial (portador de algum tipo de deficiência física ou mental, ou de doenças crónicas, considerando ainda nessa definição de público especial, os estrangeiros, as grávidas e os idosos).

    O funcionamento e o quadro de pessoal dos Museus, sobretudo os Municipais, são questões preocupantes tendo em conta os condicionalismos contratuais e os constrangimentos financeiros, agravados pelas futuras estratégias governamentais (lei das finanças locais). Por outro lado, os apoios que até agora têm existido, no âmbito dos fundos estruturaisir ão diminuir, quer pelas mudanças de estratégias contidas no QREN, quer pela supressão de um Programa Operacional Sectorial na Cultura. Por outro lado as restrições do PIDDAC no âmbito da cultura, forçosamente terão reflexo no apoio às instituições do sector. As perspectivas para o futuro não são, por isso, muito animadoras. Foi lançado o desafio, não só para que a classe política possa dar maior prioridade e auxílio aos Museus e, por outro lado, que estes procurem reunir esforços no sentido de obter formas de auto – sustentabilidade e não descurar a necessidade de pretar um maior apoio aos públicos ditos especiais.

  • Ana Duarte comentou a entrada "McDonald’s de Itu conta com cardápio para deficiente visual" à 12 anos 11 meses atrás

    Terá razão, devo admitir, mas o certo é que nos últimos tempos, este "Portugal dos pequeninos", a fingir ou não, tem vindo a mostrar uma maior ousadia, que há muito tempo devia ter revelado, mas antes tarde do que nunca! Precisará levar muito nas orelhinhas para fazer algo de jeito e que se veja. Por outro lado, como diz o povo, "quem não chora, não mama". Logo, quanto maior for a divulgação das necessidades dos invisuais, mais hipóteses terão de ver concretizadas algumas das suas pretensões, já que a atenção tem estado muito voltada para os portadores de deficiências, nos ultimos tempos, graças aos media... Agora é aproveitar a embalagem! Também o cidadão comum tem estado mais atento a estas causas, o que poderá ser bom para lhes facilitar uma maior e melhor integração.
    Haja esperança!

  • Ana Duarte comentou a entrada "Mostra debate relação entre cinema e deficiência visual" à 12 anos 11 meses atrás

    Querida Amiga, não espere esse dia chegar... vá amanhã mesmo ao cinema! Convide um bom amigo normovisual de preferência e curta à vontade o filminho, recreando em sua mente os cenários da história que ouvirá e o aspecto dos personagens. Sempre que necessite, seu amigo ajudará a relatar algumas cenas, explicará os ruídos e comentará algumas frases que ficaram por entender no idioma estrangeiro, que não precisa dominar! Não se preocupe pois não incomodará ninguém, o momento é delicioso e se for acompanhada de alguém mais especial até pode pintar um clima... Divirta-se!

  • Ana Duarte comentou a entrada "Mostra debate relação entre cinema e deficiência visual" à 12 anos 11 meses atrás

    Acho louvável e absolutamente fantástica a possibilidade de debater um assunto tão interessante quanto este e se antever maior preocupação com os invisuais no domínio da arte que faz sonhar. Será bom saber que os deficientes visuais são alvo de pensamento, visando a sua melhor relação com o cinema/ o audio-visual, a fim de garantir uma maior equidade no acesso e na percepção desta forma de transmissão de cultura e animação cultural. é importante minimizar as dificuldades ainda sentidas, sobretudo pelos invisuais que possam não dominar linguas estrangeiras, algumas delas pelo menos, mas que independentemente disso se divertem sós ou acompanhados com esta forma bastante apelativa de animação cultural, capaz de fazer sonhar o mais comum dos mortais...

  • Ana Duarte comentou a entrada "McDonald’s de Itu conta com cardápio para deficiente visual" à 12 anos 12 meses atrás

    Apreciei imenso saber desta evolução e como nunca dei conta... pergunto-me se em Portugal também haverá menus em Braille nesta cadeia de restaurantes. Na verdade, era muitointeressante que esta súper cadeia de restaurante levasse esta mudança a todos os países onde se encontra! Torna-se um exemplo a seguir pelos demais restaurantes e serviços públicos, mas devar... devagarinho, como reza a canção de Martinho Da Vila, talvez a gente chegue lá!!! A lonjura já foi maior..., esperança irmãos!

Páginas



41 a 50 de 52