Está aqui

Comentários efectuados por Daniel Serra

  • Daniel Serra comentou a entrada "Os diferentes modelos de bengalas" à 9 anos 6 meses atrás

    Olá Filipe,

    As ambutec têm 6 seguementos e não 5 como erradamente indiquei. Aliás, algo que também não tinha gostado na de grafite era o facto de ter apenas 5 seguementos, o que faz com que dobrada fique maior do que eu gostaria.

    Realmente algo que não gosto é que o revistimento dos tubos se vão estragando. Pode ser que um dia opte por uma bengala de grafite.

  • Daniel Serra comentou a entrada "Os diferentes modelos de bengalas" à 9 anos 6 meses atrás

    Olá Filipe,
    Lançaste um bom tema de discussão.

    Vou também apenas falar das bengalas que usei durante algum tempo.

    usei os 2 tipos de bengala Madrid que falaste e nos últimos anos tenho usado bengalas Ambutec.

    Quanto às Madrid concordo com as vantagens e desvantagens dos 2 tipos de bengalas que apontaste, gostava apenas de acrescentar o facto de nos primeiros dias que usei a Madrid sem punho de espuma, de me ter doído a mão, já que a bengala é pesada e o punho bastante fino. Em pouco tempo habituei-me e deixou de doer, contudo não considero que seja muito confortável.
    Realmente quem gostar como eu de ponteiras rotativas, a bengala Madrid não é boa opção, a ponteira gasta-se em pouco tempo. O elástico rebentou-me uma ou duas vezes.

    Quanto à ambutec que tenho, é relativamente pesada, estável, divide-se em 5, tem elástico duplo, e uma excelente e grande ponteira rotativa. O punho é de borracha bastante confortável.

    Para mim o grande defeito desta bengala é o peso. Contudo as outras vantagens compensam.

    Em tempos estive para comprar uma de grafite, contudo acabei por não o fazer por não a achar estável e por não parecer nada fácil substituir a ponteira. Mas realmente gostei do peso dela, do punho, e acredito que como os tubos eram ligeiramente rugosos que disfarcem mais as mazelas do dia a dia, o que permitiria manter um melhor aspecto. Este é um problema das bengalas de tubos metálicos revestidos, os tubos inferiores acabam por ir degradando o revestimento. Qual foi a tua experiência a este nível com a bengala de grafite?

    Gostava ainda de referir que apesar da Madrid e da Ambutec parecerem bastante resistentes, o certo é que troquei todas elas pelo facto de terem partido, em regra junto às interligações dos tubos.

  • Daniel Serra comentou a entrada "Nokia pode trocar Symbian por Windows Phone 7" à 9 anos 7 meses atrás

    O problema é que o symbian não é assim tão bom como isso. Para nós cegos é no momento a melhor solução, mas o symbian está longe do Iphone e do Andróide, tem perdido imenso terreno.

    O symbian tem aparentemente grandes limitações, o que obrigou a Nokia a mudar de sistema.

    Acho um pouco estranho a nokia se juntar à MS, interpreto tal como uma prova de fraqueza da Nokia, e é provavelmente fruto das limitações do symbian e da pouca maturidade da Meego, desta forma a Nokia prefere apostar num software já com provas dadas do que apostar numa plataforma ainda em desenvolvimento. O problema é que ao fazer isso a Nokia passa a ser igual a qualquer outra marca que use o Windows Mobile.

    Para nós cegos a aposta na MS pode ser melhor do que na Meego, visto que já há leitores de ecrã para o Windows Mobile o que facilita a transição. O mobile speack já trabalha há algum tempo no Windows mobile, e creio que o Talks já tenha uma versão para este sistema operativo.

  • Daniel Serra comentou a entrada "a minha primeira compra sozinho! leia a minha experiência!" à 9 anos 7 meses atrás

    Caro Diego,

    Gostava de lhe agradecer os testemunhos que tem deixado, serão certamente importantes para muitos cegos, em especial para os que perderam a visão recentemente. O Lerparaver é muitas vezes procurado por cegos recentes e pelas suas famílias para obterem informações sobre uma realidade que lhes é nova.

  • Daniel Serra comentou a entrada "O sistema GUIO Solid Step" à 9 anos 7 meses atrás

    Quanto aos pinos, é pena que muitas vezes se resolvam os problemas da maneira mais simples e sem pensar em todos os utilizadores.

    Mas passemos ao que interessa neste comentário.

    Venho aqui relatar a minha experiência e opinião do sistema que experimentei ontem.

    Realmente os centros comerciais são meios relativamente hostis para a orientação e mobilidade autónoma por parte de uma pessoa cega.

    Um sistema perfeito permitiria:
    - Conhecer a estrutura do centro comercial e a localização das lojas;
    - Saber as lojas por onde iríamos passando;
    - saber o que se encontra à nossa volta
    - indicar o caminho para irmos de um ponto para o outro, por exemplo da entrada até à loja x.
    - mecanismo que permitam às pessoas cegas de bengala deslocarem-se com autonomia nos corredores, encontrar elevadores, escadas rolantes e entradas das lojas.

    Mas como sabemos, soluções perfeitas não existem. Este projecto tem o mérito de ter sido pragmático, é preferível um sistema que não seja perfeito mas que seja implementável e fácil de usar, do que um sistema muito sofisticado mas que depois ninguém o implementa por ser caro, ou ninguém o use por ser complexo. O sistema tem também o mérito de ser de fácil actualização, já que mais importante que implementar um sistema, é mantê-lo a funcionar e actualizado.

    De todo o modo, o sistema proposto apenas responde a parte dos problemas que indiquei.

    O sistema permite ir recebendo mensagens ao longo do shopping. Essas mensagens para além de indicar a zona em que nos encontramos, indicam também por exemplo que temos um dado corredor a norte com as lojas tal e tal à direita e tal e tal à esquerda.
    Estas informações ajudam a orientar no shopping, a conhecer as lojas existentes. É certo que o sistema não indica exactamente onde é uma dada loja, contudo podemos ficar bem perto dela, o que facilita um eventual pedido de ajuda a algum transiunte. A meu ver um dos problemas do sistema refere-se ao facto do sistema não saber exactamente onde nos encontramos, sabe apenas que nos encontramos ao alcance de um dado ponto fixo, o que pode ter uma margem de erro de uns 10 a 20 metros. Tal facto pode dificultar visto que pode ser dito que a este temos o corredor tal, mas pode não ser fácil encontrar tal corredor em especial porque o espaço é amplo e com muitos objectos moveis (pessoas). Este problema é minimizado quando o cego conhecer já bem o centro comercial.

    Está também previsto a disponibilização de mapas tácteis o que permitirá ter uma noção geral do centro comercial, bem como da localização de cada loja.

    Por tudo isto considero que este produto tem potencial, é útil, contudo está longe de resolver todos os problemas existentes num centro comercial
    Este sistema parece-me muito interessante para pessoas de baixa visão, os utilizadores de cão-guia também deverão tirar um bom proveito, contudo quanto aos utilizadores de bengala terão ainda muitas dificuldades, apenas os cegos com boa mobilidade e habituados a um dado shopping o irão utilizar.

    Este sistema para mim teria muito mais interesse se complementado por marcas tácteis no chão que facilitassem a deslocação ao longo do shopping. Bastaria haver a meio dos corredores uma linha táctil ao longo do mesmo que se bifurcava nos cruzamentos com outros corredores, e que indicavam também elevadores e escadas rolantes. Ao longo dos corredores poderiam ter pequenas marcas que indicavam a presença de lojas à direita ou à esquerda. seria também indicado os locais onde se encontravam os pontos fixos do sistema de voz, o que resolvia o problema do ponto fixo não saber exactamente onde estamos, bastaria ouvir a mensagem quando estávamos sobre o ponto fixo.
    Os pontos fixos estariam essencialmente nos cruzamentos, assim poderia indicar as lojas que estariam em cada direcção. Por exemplo num dado cruzamento ficava a saber que a loja que pretendia estava no corredor para norte, e era a terceira loja da direita. Através da bússola e das marcas tácteis ficava a saber com precisão que corredor teria de seguir, e com as marcas de indicação das lojas poderia saber qual seria a terceira loja da direita. A conjugação destes 2 sistemas juntamente com os mapas tácteis, permitiria resolver de forma satisfatória os problemas de orientação de pessoas cegas num centro comercial, e com soluções de uso simples e de relativo baixo custo. O sistema de voz e os mapas tácteis estão previsto neste projecto, mas sem as marcas tácteis ou outro sistema equivalente a utilidade deste sistema acaba por ficar muito à quem do desejado.

    Tenho muitas dúvidas que a Sonae Sierra esteja interessada em colocar marcas tácteis no chão, contudo se o objectivo é que as pessoas cegas frequentem os centros comerciais, então tem de chegar a soluções que sejam úteis, de fácil uso e de baixo custo. Se a Sonae está realmente interessada em investir neste sistema de voz, então se implementasse também as marcas tácteis, com pouco mais investimento conseguia uma solução muito mais eficaz e certamente com muitos mais utilizadores.

    Fica assim aqui a minha sugestão à equipa do projecto.
    Encontro-me ao dispor para o que necessitarem.

  • Daniel Serra comentou a entrada "O sistema GUIO Solid Step" à 9 anos 8 meses atrás

    Caro Gilmar,

    A orientação de uma pessoa cega num shopping realmente não é fácil. Tem havido algumas tentativas aparentemente com pouco sucesso. Pelo que descreve, este método parece-me com potencial, pelo menos o sistema parece que sabe para onde estamos virados e dá a informação em concordância. Não sei é se para além da direcção consegue saber exactamente onde estamos, ou apenas que estamos no alcance de determinado ponto fixo, o que teria uma margem de erro de alguns metros. De todo o modo, já tencionava experimentar na quarta-feira este equipamento, pelo que depois dou a minha opinião.

    De qualquer forma, não deixa de ser curioso que a empresa que desenvolve esta solução é a mesma que implementou os pinos à entrada das escadas rolantes de muitos shoppings e que tanto perturbam as pessoas com deficiência visual, com baixa visão, de bengala, de cão-guia, ou a acompanhar outras pessoas, visto que apenas pode passar uma pessoa de cada vez. Aliás, não são apenas os deficientes visuais que reclamam, basta ouvir os comentários das pessoas que usam as escadas. A solução de ir pelo elevador não é uma solução, já que em regra ficam longe e não possuem sistema de voz.
    sinceramente parece-me que esta solução é desproporcional para o que pretende evitar,. Se em todos os locais em que o mau uso das pessoas pudesse provocar problemas fossem encontradas soluções como esta, tudo teria de ser diferente. Por exemplo atravessar fora das passadeiras provoca atropelamentos, mas seria lógico para evitar isso que se colocasse grades em todos os passeios de todas as ruas excepto nas passadeiras? Não seria algo desproporcional? É isto que os pinos nas escadas rolantes fazem.

  • Daniel Serra comentou a entrada "Invisuais queixam-se da TVI e SIC" à 9 anos 11 meses atrás

    Olá Filipe,

    Aconselho-te a estares mais atento aos telejornais. Obviamente que eles são em português, contudo quando entrevistam alguém em estrangeiro, é muito raro haver locução em português, usam-se quase sempre as legendas. Se em alguns casos o jornalista pode fazer um breve resumo, na maior parte das vezes não acontece, e se tal fosse suficiente então porque aparecia os entrevistados a falarem em estrangeiro? Podes achar suficiente um cego poder aceder a 10% de uma notícia, contudo eu como cidadão português tenho direito a aceder à informação, e à totalidade, não apenas a 10%. É um direito meu, e teoricamente uma obrigação dos canais de televisão.

    Por essa lógica, tu que és deficiente motor, deves achar suficiente se 10% dos passeios forem acessíveis, mesmo que a lei obrigue a mais e seja fácil fazê-lo. É isso?

    Relembro que mesmo como locução em português um telejornal ainda não é tão acessível a uma pessoa cega como a uma pessoa não cega, ainda seria necessário a áudio descrição. A televisão apresenta diversos problemas, contudo a ausência de locução em português dos programas noticiosos parece-me o mais grave, e o de mais fácil e barata resolução, haja boa vontade.

  • Daniel Serra comentou a entrada "microcomputadores" à 10 anos 6 meses atrás

    Olá Jorge,

    Eu ainda não tenho nenhum mas conheço várias pessoas que estão satisfeitas. De qualquer forma, é necessário ter a consciência que a capacidade destes computadores não é igual à de um portátil actual. A qualidade de som é em regra também mais fraca.

    Um aspecto que é importante prende-se com o tamanho e configuração do teclado. O Netbook não deverá ter menos de 10 polegadas, caso contrário o teclado fica muito pequeno.

    Aconselho ver alguns modelos antes de comprar, nomeadamente o teclado e o som. Tenho boas referências dos portáteis da Asus.

  • Daniel Serra comentou a entrada "Invisuais queixam-se da TVI e SIC" à 10 anos 7 meses atrás

    As televisões, nomeadamente as televisões privadas, ainda não perceberam 2 aspectos importantes no que se refere ao plano plurianual de acessibilidade à televisão aprovado pela ERC. 

    1 - Ainda não perceberam, ou não querem perceber, a grande importância que tem para as pessoas com deficiência visual as medidas contempladas no plano, nomeadamente da áudio-descrição e da locução em português de serviços
    noticiosos.
    A televisão é hoje o veículo de comunicação por excelência, mas não para todos. Os deficientes visuais não podem desfrutar por vezes desta ferramenta, ficando em causa o acesso ao entretenimento, e mais importante à informação. A simples e barata adopção da locução em português, seria um passo já importante, e as televisões só não fazem se não quiserem. 

    2 - As televisões ainda não perceberam que estamos a falar de medidas para um mercado bastante alargado, nomeadamente a locução em português, já que não beneficiaria apenas os 163 mil deficientes visuais portugueses, mas a generalidade das pessoas idosas, bem como todas aquelas que vêm televisão enquanto fazem outras coisas, são cerca de 20% da população. A implementação deste plano, ou de outros ainda mais ambiciosos, levaria a um aumento das audiências e consequente aumento das receitas publicitárias, que compensaria os custos da adopção destas medidas, que não são assim tão elevados como isso.

    Na Inglaterra, quase todos os canais de sinal aberto e de cabo são obrigados a cumprir 10% de áudio-descrição, e todos cumprem, sendo que muitos ultrapassam.
    10% corresponde a 16 horas semanais, e em Portugal as televisões não querem cumprir uma hora e meia! 

    Penso que é importante fazer ver as televisões das vantagens do cumprimento deste plano, fazer ver que realmente é importante para os deficientes visuais, e de que realmente existe um mercado ainda não explorado, que por isso elas também ganharão com este cumprimento. 

    Deixo abaixo formulários e contactos de e-mail da RTP, SIC e TVI, para que todos os que o entenderem, entrem em contacto para lhes chamar a atenção para estes pontos.

    RTP: http://ww1.rtp.pt/wportal/participe/formulario.php

    Sic: atendimento@sic.pt

    TVI: relacoes.publicas@tvi.pt

  • Daniel Serra comentou a entrada "Veículos híbridos poderão ter "car tones"" à 10 anos 11 meses atrás

    Caro Luís,

    Sim, concordo que os carros, pelo menos alguns, são bastante barulhentos, mas isso também depende muito do piso. Actualmente existem muitos carros que em cidade, em ruas alcatroadas já não fazem muito barulho. Se forem eléctricos, então em alcatrão, o barulho será mesmo muito baixo.

    Concordo que se todos os carros fizessem menos barulho, o problema não seria grande, e que até se poderia ouvir outros sons. O problema é que nos próximos tempos não se prevê que os carros de combustão acabem, pelo que a coexistência de carros silenciosos e outros barulhentos pode ser realmente perigoso, visto que os carros normais dificultam a audição dos carros eléctricos.

    Um outro problema, é que os carros eléctricos quando parados, não emitem qualquer som, o que pode ser um problema em algumas travessias, já que o carro até pode estar parado, mas arrancar a qualquer momento, e o cego não está de alerta, já que pode pensar que não há carro nenhum.
    Mas vamos esperar que o problema seja solucionado, antes que realmente seja verdadeiramente um problema.
    Abraço

Páginas



41 a 50 de 72