Está aqui

Comentários efectuados por Daniel Serra

  • Daniel Serra comentou a entrada "O mito da acessibilidade cara, dispendiosa e impraticável" à 8 anos 10 meses atrás

    Olá Filipe,

    Concordo com tudo o que disseste, apenas acho que algumas das medidas que falaste ainda têm algum custo, mas a generalidade das medidas que falas, são bastante económicas e úteis.

    Realmente o principal problema da acessibilidade não é o custo das soluções, mas a boa vontade e o conhecimento do que realmente os cegos necessitam. Já assistimos algumas vezes a projectos até bastante dispendiosos mas com utilidade reduzida ou mesmo nula.

    Muitas vezes revolta e não se percebe como é que algumas medidas simples, baratas e úteis não são implementadas. Por exemplo o Metro do Porto gastou bastante dinheiro a criar um sistema de orientação em estações. Não quero aqui discutir quanto à utilidade ou não deste projecto, contudo revolta ver que soluções simples como marcas tácteis na estação da Trindade e Casa da

  • Daniel Serra comentou a entrada "Os sites em WordPress são acessíveis ?" à 8 anos 10 meses atrás

    Quanto a saber se é o drupal ou o joomla a ter mais templates acessíveis, não sei, mas não posso afirmar que seja o drupal.

    Conheço mal o Joomla e não sei que funcionalidades pretendes que o si te tenha, para poder aconselhar qual seria o melhor cMS para o teu caso em concreto. Na teoria o Drupal é mais flexível, mas em regra maior flexibilidade implica mais trabalho e tempo para construir um site. O Joomla é mais instalar e usar, no drupal é mais necessário recorrer a módulos extra. Para quem não percebe de programação, o Drupal pode não ser a melhor opção, mas para ti isso não é um problema.

    Quanto ao plone, não o conheço. Realmente parece vocacionado para grandes sites, e é criado em piton ao contrário dos que temos vindo a falar que são em PHP, o que potencialmente dá-lhe maior performance.

    Em suma, acho que tens capacidade para te dares bem com qualquer escolha, pelo que o importante é escolher e avançar!

  • Daniel Serra comentou a entrada "robô cão-guia" à 8 anos 10 meses atrás

    Um robot-guia, com formato de cão ou outro que fosse adequado, poderá ser interessante, em especial para os que não querem/podem ter um cão-guia.

    Esta investigação parece ter a consciência que é muito complicado desenvolver um robot guia, pelo que apenas prevêem lançar o modelo daqui a 9 anos.

    Exercer a função de guia é um processo muito complexo, o cão-guia não segue apenas ordens, mas toma decisões de acordo com o que lhe foi ensinado e de acordo com o que foi aprendendo na sua experiência diária. Um cão-guia tem capacidade para resolver um problema que lhe surja na rua, mesmo que nunca o tenha visto, e normalmente toma a melhor decisão. Isto envolve um processo mental extremamente complexo que no mínimo será difícil um robot conseguir fazer.

    Sendo assim, acredito que seja possível que venham a haver robots guia, mas ainda terá de haver muita investigação, testes e aperfeiçoamentos para que se possa lançar um produto que terá desde o início de oferecer mínimas garantias, visto que um erro de programação pode por em causa a segurança da pessoa cega.

  • Daniel Serra comentou a entrada "Os sites em WordPress são acessíveis ?" à 8 anos 10 meses atrás

    Eu não disse que o wordpress era má opção. Tu que conheces bem o Wordpress é que sabes se ele faz o que necessitas para o site que pretendes criar, eu arriscava a dizer que sim.

    Quanto a joomla vs drupal, se conheces melhor o joomla eu arriscava dizer que seria a melhor opção para ti entre os 2. Não acredito que necessites de tanta escalabilidade e performance para compensar aprenderes do 0 o Drupal, mas qualquer opção é boa. Quanto a templates, o drupal tem bastantes, mas o Joomla tem muitos mais, fruto de ser mais usado. Um outro factor que pode influenciar, o drupal tem imensa documentação mas quase toda em inglês, as comunidades em língua portuguesa são fracas. O joomla tem mais documentação em português.

    O grupo de cegos a testar acessibilidade é importante, mas não te esqueças de um aspecto, os cegos são apenas um dos públicos alvo das regras de acessibilidade. As regras de acessibilidade visam a que qualquer pessoa, com qualquer limitação, possa aceder a uma página com qualquer browser e com qualquer equipamento em quaisquer condições de iluminação e som envolvente.

    A acessibilidade 100% universal é possivelmente uma utopia, mas devemos ter noção do objectivo final para podermos aproximarmo-nos o mais que pudermos dele.

    Um ponto de partida são sempre as regras de acessibilidade, actualmente as WCAG 2.0, depois se tiveres alguma dúvida uma pesquisa no google pode ser muito útil.

  • Daniel Serra comentou a entrada "Partilha de conteúdos para deficientes" à 8 anos 10 meses atrás

    Sim, conjugar todas as associações deve ser lírico.

    Mas nessa opção a parte pior é que infelizmente nem 5% dos deficientes visuais devem ser sócios de qualquer associação, pelo que este tipo de validação não resolve o problema.

    Embora muitas pessoas não gostem, para mim a melhor solução seria mesmo o livro digital acessível publicado/vendido pela própria editora, este seria o apogeu da inclusão a este nível.

  • Daniel Serra comentou a entrada "Partilha de conteúdos para deficientes" à 8 anos 10 meses atrás

    Caro Jorge,

    Quanto a livros, se não foi alterado, a lei é omissa no que diz respeito a livros digitais, contudo A própria Sociedade Portuguesa de Autores não se opõe a tal, o que faz sentido com o espírito da legislação, na altura não havia livros digitais.

    O problema é que os direitos de autor não se aplicam apenas quando para uso de deficientes visuais, e no mundo da internet é complicado garantir isso, que apenas os deficientes visuais acedem, pelo que facilmente se infringe a lei.

    No Lerparaver chegamos a ter pronta uma biblioteca virtual, mas não pudemos avançar porque não conseguimos obter autorização por parte da Comissão Nacional de Protecção de Dados para tratar os dados que garantiriam que os utilizadores seriam deficientes visuais.

    Na música esta isenção dos direitos de autor não existe, é apenas para livros.

  • Daniel Serra comentou a entrada "Os sites em WordPress são acessíveis ?" à 8 anos 10 meses atrás

    Na teoria para um site não blog, o Joomla ou o Drupal são mais adequados. Contudo para sites não muito complexos o wordpress serve perfeitamente.

    Desta forma, se achas que o wordpress permite fazer tudo o que pretendes para esse site, então acho que é preferível usá-lo do que perderes tempo a trabalhar com outro CMS que não conheces tão bem.

    As regras que não podem ser validadas automaticamente, terão de o ser manualmente, tendo de as conhecer é claro. De todo o modo, se um site passar nas validações automáticas de mais de um validador, já não é nada mau.

    No entanto, os validadores devem ser usados com espírito crítico. Um validador até pode dizer que um site cumpre as regras, mas não as cumprir na realidade. Por exemplo, um validador automático valida se uma imagem tem a etiqueta alt, contudo não é capaz de saber se o alt é adequado ou não à imagem. Deste modo para se fazer uma página acessível não basta passar um site num validador, tem de se perceber a lógica das regras que estão a ser avaliadas.

    Quanto ao negrito é isso mesmo.

  • Daniel Serra comentou a entrada "Os sites em WordPress são acessíveis ?" à 8 anos 10 meses atrás

    Sim, os CMS estão sempre a evoluir.

    O joomla e o drupal tem tido uma evolução bastante convergente

    O joomla era uma ferramenta mais fácil de usar mas menos flexível e menos potente, o Drupal era uma ferramenta muito potente e flexível mas em que era necessário ter conhecimentos de programação para poder aproveitar essa flexibilidade. Actualmente o joomla está mais de acordo com as normas e é mais flexível, e o drupal é mais fácil de usar por iniciantes. Devido a estes motivos o Joomla é claramente mais usado que o Drupal, mas em média o drupal é usado por sites maiores e mais complexos.

    Se tu conheces melhor o wordpress que os outros, então em princípio não tens porquê mudar.

    O Era é um bom validador, mas cada validador é diferente. Em www.acesso.umic.pt tens 3 validadores, um valida de acordo com o WCAG 2.0. Não te esqueças e que os validadores apenas conseguem validar parte das regras, o resto tem de ser manualmente.

    No WCAG 1.0 mesmo os bolds e itálicos deviam ser utilizados com classes css, no WCAG 2.0 não tenho a certeza.

  • Daniel Serra comentou a entrada "Os sites em WordPress são acessíveis ?" à 8 anos 10 meses atrás

    Os leitores de ecrã lêem a informação pela ordem que ela surge no código html. Com posicionamento em CSS pode-se fazer com que a ordem que surge no html não seja a que surge no ecrã. No caso do Lerparaver surge primeiro no html a coluna da direita e depois a da esquerda.

    As alterações que estão previstas para breve não inclui alterar o template, embora alguns ajustes possam ser feitos. A médio prazo, será estudado a alteração do template para um mais moderno. Este já é o segundo template que usamos desde que mudamos para o Drupal.

  • Daniel Serra comentou a entrada "Os sites em WordPress são acessíveis ?" à 8 anos 10 meses atrás

    Inicialmente o Lerparaver era feito em páginas html e com um design demasiado simples, e só eu e o António pudíamos publicar conteúdo.
    Permaneceu assim uns 5 anos.

    Nessa altura achamos que era tempo de mudar. E um gestor de conteúdos seria a solução mais simples, rápida e eficaz.

    Centramo-nos em cms gratuitos e em PHP. Vimos os 3 que estamos a falar por serem constituídos por grandes comunidades o que garante o futuro da ferramenta. O Joomla foi logo excluído por não ser na altura acessível, o wordpress parecia bom mas era mais orientado para blogs. O drupal parecia ter o que necessitávamos. Um cms suportado por uma grande comunidade, suporte multiling, respeito de regras do w3c, modular e escalável.

    Até ao momento não nos arrependemos da decisão tomada, mas como en tudo na vida, nada é perfeito, uns CMS são melhores numas coisas outros noutras.

    Depois pegamos no template base e alteramos dezenas de coisas, por forma a cumprir melhor as regras de acessibilidade e a tornar a navegação mais simples. A principal alteração que fizemos e que diferencia o Lerparaver em relação a maior parte dos sites, foi a alteração da ordem pela qual as colunas são lidas por leitores de ecrã. Normalmente as colunas são lidas da esquerda para a direita. No caso do Lerparaver é lida primeiro a coluna da direita, a do conteúdo e só depois a esquerda. Desta forma sempre que se abre uma nova página a primeira coisa que é lida é o novo conteúdo.

    Mas como em tudo na vida, nada está concluído, temos previsto melhorar a acessibilidade/usabilidade/funcionalidades do Lerparaver nos próximos tempos.

Páginas



21 a 30 de 72