Está aqui

Comentários efectuados por Jackie

  • Jackie comentou a entrada "O vídeo "Ensaio sobre a cegueira" dará uma visão correcta da realidade dos cegos ?" à 10 anos 6 meses atrás

    Olá a todos os que participam e expõem neste espaço as suas opiniões.
    Também eu já me tenho exposto algumas vezes, ultimamente mais acerca deste preciso tema.
    Penso que circula entre a comunidade de cegos, dos países por onde o filme tem passado, uma ideia errada da mensagem principal do filme (que não nos podemos esquecer; se baseia num livro, num romance de ficção). Como ficção que é, tem a liberdade de utilizar ideias, imagens e outros estímulos, de formas diferentes daquelas que estamos habituados. É assim que nascem as obras de arte e é assim que os artistas se destinguem; obrigando-nos a pensar e a utilizarmos valores comuns perspectivados de outras maneiras e formas que não tinhamos pensado antes. Assim, convoco os leitores a lerem a obra sem pensarem que são cegos, sem pensarem que a obra é sobre uma comunidade de cegos, tal qual a conhecemos. Ler o livro, é a melhor forma de percebermos a mensagem do autor (que obviamente é partilhada pelo realizador).
    A obra não é sobre os cegos, nem sobre as dificuldades dos cegos, nem sobre o mundo dos cegos.... nada disso, lamento informar.
    A cegueira é utilizada como uma metáfora, para representar aqueles que, enxergando, não querem ver certas coisas, ou só vêem o que lhes interessa e dessa forma não dão valor às coisas que são deveras importantes na vida; como o valor do amor incondicional, da amizade sem olhar a raças, idades ou estratos sociais e a solidariedade em momentos de máxima ruptura, que estão bem patentes na obra.
    Pode-se evidentemente tirar outras ilações desta obra, cada um aproveita cada obra de arte, conforme a sua sensibilidade.
    No entanto, é importante não esquecer que não há qualquer intenção de retratar cegos, no 1º sentido da palavra, no sentido directo, e por isso, não vale a pena estarmos a insurgir-nos contra o autor ou o realizador, quando afinal, não percebemos a mensagem.
    Tal como qualquer obra, esta também pode ter defeitos, conhecem alguma obra considerada perfeita por todo o mundo?
    Quanto à questão do realizador ser brasileiro e a obra ser portuguesa mas o idioma falado ser o inglês, penso que terá tido a ver, principalmente, com a escolha dos actores de origem norte americana. Provavelmente, quando o filme sair em DVD deverá ter a opção do idioma em Português para que as pessoas com mais dificuldades em entenderem o Inglês (cegos e normovisual) possam assim perceber melhor a mensagem.
    Um abraço

  • Jackie comentou a entrada "Federação de cegos dos EUA pede boicote a "Ensaio sobre a Cegueira"" à 10 anos 7 meses atrás

    De facto, ainda não tivemos oportunidade de ver o filme, só quando este estrear é que poderemos verificar se houve algum desvio da leitura feita pelo argumentista relativamente à obra em que se baseia.
    Decididamente o livro não pretende retratar a vida das pessoas com deficiência visual. "Pior do que quem não vê é o que não quer ver."
    Mas quer-me parecer que, ou há má interpretação do livro por parte do realizador (o que me parece pouco provável...) ou, das duas uma: alguém não leu o livro, ou lendo-o, não o entendeu.
    É bem provavel que apenas 1 ou 2 pessoas da Direcção da Federação de Cegos americana tenha tido a oportunidade de assistir ao filme e duvido que alguém dessa federação se tenha dado ao trabalho de ler o livro.
    Provavelmente, é o seu caso também.

  • Jackie comentou a entrada "Federação de cegos dos EUA pede boicote a "Ensaio sobre a Cegueira"" à 10 anos 7 meses atrás

    Quer-me parecer que, para variar, os senhores dos States não leram nem se informaram devidamente sobre a obra "Ensaio sobre a Cegueira", de José Saramago.
    O autor tenta neste livro retratar uma situação ficcional "in extremis" mostrando até que ponto a condição humana determina as regras. Não se trata de retratar qualquer comunidade de portadores de deficiência visual, mas antes mostar como os humanos conseguem ser totalmente irracionais (piores que animais) esquecendo todas as regras da sociedade, quando se encontram num situação extrema.
    Não tem a ver com o ser cego ou não, quem leu o livro sabe que se fala de quem não quer ver e não da deficiência visual.