Está aqui

Comentários efectuados por Fernando Branco

  • Fernando Branco comentou a entrada "O presidente da ACAPO não deveria ser cego?" à 10 anos 7 meses atrás

    Acho que há uma grande falta de coerência ou realmente há medo em dizer aquilo que esta a ser dito em toda a comunidade cega e amblíopes a voz baixa, com receio que chove algum processo..... Para que a sociedade dê aos cegos oportunidade é necessário que eles se formam para as exigências das suas funções. Vamos ser claro, acham que uma telefonista reformada (com todo o respeito pela profissão), é adequada para lidera uma associação?, com técnicos superiores? uma pessoa que nem autonomia tem? sem conhecimento nem experiência em liderança? que não sabe o que são os objectivos, missão, valores ou visão da instituição? Não estará alguns cegos a brincar aos chefes?. Portanto, se as pessoas cegas assumir determinados cargos deverão estar devidamente formadas.

  • Fernando Branco comentou a entrada "O presidente da ACAPO não deveria ser cego?" à 10 anos 7 meses atrás

    O presidente de uma instituição deve ser competente nesta área, unicamente. Trabalhar para toda a associação cegos, pessoas com baixa visão, sócios, utentes cooperantes e em todos os distritos. Processar os técnicos para que eles saiam a custos zeros não será boa estratégia para a instituição, ainda, fica mais denegrida do que ela está. Ela fundamenta o emprego para os seus invisuais, mas tenta denegrir os seus próprios funcionários, não me parece coerente...O seu objectivo passou a ser processos e não aqueles porque ela existe.

  • Fernando Branco comentou a entrada "O presidente da ACAPO não deveria ser cego?" à 10 anos 7 meses atrás

    Antes de falar dos funcionários devemos pensar um pouco nos dirigentes, a estrutura organizacional e quais são os reias objectivos da organização. A questão não é essa: ser ou não ser cego?, mas sim ser competente ou não competente em determinada área. Um presidente de uma Associação que instaure um processo a um técnico porque ele exerceu funções que não estão no seu contrato, parece-lhe justo, talvez....Mesmo se este técnico exerceu com um único propósito servir a instituição? mesmo sendo a própria Direcção Nacional que o formou para este efeito? mesmo se as exerceu durante 5 anos, e que suas extras funções foram sempre explicitas nos relatórios a segurança social e de actividades, panfletos, site, reuniões com terceiros, informações aos dirigentes locais e nacionais e nunca ninguém lhe disse nada? claro que todas as pessoas sabem que a questão é outra.....