Está aqui

Blog de alves

Incapacidades e as suas Angustias

por alves

Pensar sobre as pessoas que vêm para a nossa cadeira de rodas, sabendo que é parte de seu ser, e, a fim de impedi-los transferências desconfortáveis ​​cadeira odontológica, tentamos os tratamentos são realizados com o menor número de visitas possíveis por Eu trabalho por quadrantes ou sedação consciente.

DISCAPACIDADES PSÍQUICAS

O medo e angústia que os pacientes apresentam quando vão ao dentista são aumentados se forem portadores de deficiência mental, o que requer um tratamento único, tratamento que só pode ser realizado por profissionais especializados nessa área médica.
Asfixia, tremores, suores, rigidez muscular, dificuldade para relaxar e taquicardia, são manifestações que tendem a apresentar pessoas com declínios mentais, e é necessária para combater o trabalho dental profissional de forma eficaz.

1. INTRODUÇÃO

Proporcionar às pessoas com deficiência um bom atendimento odontológico está se tornando uma necessidade nos últimos anos para nossas clínicas dentárias. De todas as pessoas que vêm para a odontologia, muitos são pacientes que sofrem de algum tipo de deficiência. O problema dentário é um dos problemas de saúde que afetam praticamente toda a população com algum tipo de deficiência e, portanto, há uma alta demanda por tratamentos.
Entre os problemas mais comuns neste grupo, encontramos:
 Problemas derivados da má higiene bucal (cárie, tártaro ...)
 Falta de peças dentárias em idades muito precoces, seja pela própria incapacidade, seja pelos efeitos da medicação a que, em muitos casos, estão sujeitos.
 Bruxismo
 Hipersensibilidade dentária.
 Problemas de deglutição, estomatológicos e nutricionais
 Problemas na expressão verbal.
Vários estudos mostram a má condição bucal apresentada pela população com deficiência, havendo nesse grupo uma maior incidência de dentes cariados e uma menor higiene bucal em relação à população geral.
Embora nos últimos anos a assistência oral e dentária dos deficientes esteja melhorando, ainda há um longo caminho a ser percorrido, e é necessário, do nosso ponto de vista, oferecer programas de prevenção para organizações que trabalham para pessoas com deficiências. odontologia para seus usuários, que aborda este problema de forma global e eficaz.
PACIENTE DENTAL COM DEFICIÊNCIA
2.1 DEFINIÇÃO DE CONCEITOS
Antes de entrar no estudo, é necessário fazer uma boa definição de conceitos que são normalmente usados ​​para falar sobre esse grupo e que são geralmente usados ​​como sinônimos, apesar das diferentes conotações que você tem.
Na maioria dos casos, falamos de "deficiência", "deficiência" ou "deficiência", sem pensar que eles não têm o mesmo significado. Para isso, definiremos bem suas características com base nas definições feitas pela Organização Mundial da Saúde no ano 85.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) define esses conceitos em relação aos diferentes planos da doença.
"Deficiência" significa qualquer perda ou anormalidade de uma estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatómica. A deficiência é caracterizada por uma perda ou anormalidade, temporária ou permanente em um órgão, tecido ou outra estrutura corporal. A deficiência é um distúrbio orgânico, que produz uma limitação funcional que se manifesta objetivamente na vida cotidiana. Você pode falar sobre deficiências físicas, sensoriais, psíquicas e de relacionamento.
"Incapacidade" é qualquer restrição ou ausência (devido a uma deficiência) da capacidade de realizar uma atividade da maneira ou dentro da faixa considerada normal para um ser humano. A deficiência é caracterizada por excesso ou insuficiência de desempenho e comportamento em uma atividade normal e rotineira, que pode ser temporária ou permanente, reversível ou irreversível, progressiva ou regressiva. Em outras palavras, a deficiência é tida, a pessoa não é desativada.
Quando se fala de "deficiência" refere-se a uma desvantagem para um determinado indivíduo, resultante de uma deficiência ou incapacidade que limita ou impede o desempenho do papel que seria normal para você é feito.
Inclui três fatores:
1. A existência de um desvio da norma
. Sua importância depende de normas culturais. Não é valorizado da mesma forma em todas as culturas.
3. Geralmente é uma desvantagem que pode ser de orientação, independência física, mobilidade, ocupação e integração social.
2.2 Os problemas dentários das pessoas com deficiência.
Este estudo tem como objetivo conhecer a saúde bucal e bucal de pessoas com deficiência no território catalão. Para isso, é importante conhecer as diferentes patologias dentárias que esse grupo costuma ter.
Discapacidade intelectual
O próprio handicap psíquico requer cuidados dentários especiais, com um pessoal devidamente treinado. Os deficientes mentais têm um alto grau de patologia oral, por isso precisam de uma série de medidas terapêuticas especiais.
Muitos especialistas muitas vezes se sentem desconfortáveis ​​quando encontram um paciente com essas características em sua prática. Isso se deve à dificuldade que eles têm de se comunicar e interagir com eles, devido sobretudo à falta de informação e treinamento de alguns profissionais.
Muitas síndromes que geram retardo mental (Síndrome de Down, Angelman, ...) associam problemas dentários específicos, mas em linhas gerais encontramos:
 Problemas de higiene bucal
 Cárie (exceto no paciente com síndrome de Down que geralmente tem uma menor incidência desta doença em comparação com a população geral).
 Problemas de paladar (palato ogival)
 Problemas nutricionais devido a problemas de deglutição.
 Bruxismo
 Perdas de peças dentárias.

Deficiência Sensorial

Pessoas com deficiência visual ou sensorial podem não apresentar, em muitos casos, uma patologia oral específica devido à sua deficiência, embora deva ser levado em conta que problemas podem surgir na consulta devido a problemas de comunicação.
Neste caso, será importante estabelecer uma relação com o paciente cordial e bondoso que gera confiança. Além disso, teremos que facilitar tanto quanto possível, especialmente para pacientes cegos, a acessibilidade à consulta.

Deficiência Física

Em pessoas com deficiências físicas é muito difícil manter uma boa saúde bucal, em parte devido aos problemas que essa população tem em manter uma boa higiene bucal, muitas vezes devido à sua própria deficiência.
Por outro lado, deve ser levado em conta e tentar resolver os problemas que essas pessoas têm para acessar os tratamentos, devido a problemas de acesso não apenas às instalações, mas também aos móveis da consulta, como poltronas, sofás.

Deficiência mental

Os doentes mentais são pessoas com alta predisposição a doenças da cavidade bucal, ocasionando alterações da própria doença mental nos sistemas reguladores do corpo que controlam a função oral.
A maioria desses pacientes está sob tratamento farmacológico e, às vezes, em situação de risco social (dependência de drogas, pobreza, má alimentação, etc.), que gera entre muitos outros problemas dentários.